(51) 3249.2837 e (51) 99817.2943 [email protected]

Esses dias estava estudando sobre o comportamento da Curva do economista Vilfredo Pareto, também conhecida como Curva ABC, ou Curva 80-20. Esse economista, em seu estudo sobre renda e riqueza, observou que uma pequena parte da população (aproximadamente 20%), concentrava a maior parte da riqueza (aproximadamente 80%). Essa lei passou a ir além da Economia, afirmando que para diversos fenômenos, 80% das consequências advém de 20% das causas.

Explico com alguns exemplos que, de alguma forma ou outra, ratificam esse princípio:

– uma livraria não pode ter todos os títulos do mercado, portanto ela aplica a regra de Pareto e foca em 20% dos títulos que geram 80% da receita;
– a maioria dos acidentes de carro ocorre em um numero relativamente pequeno de cruzamentos, na faixa da esquerda em determinada hora do dia;
– a maioria dos acidentes fatais ocorre com jovens;
– em vendas comissionadas, 20% dos vendedores ganharão mais de 80% das comissões;
– estudos mostram que 20% dos clientes respondem por mais de 80% dos lucros de qualquer negócio;
– menos de 20% das celebridades dominam mais de 80% da mídia, enquanto mais de 80% dos livros mais vendidos são de 20% dos autores;
– mais de 80% das descobertas científicas são realizadas por 20% dos cientistas. Em cada época, são uns poucos especialistas celebres que fazem a maioria delas.

Nem todos fenômenos necessariamente obedecem a essa Lei do 80-20. Há relações que são bem mais desproporcionais e extremas, como abaixo:

– os americanos representam menos de 5% da população mundial, mas consomem 50% da cocaína do planeta;
– de igual maneira, os americanos consomem 25% do petróleo produzido no mundo;
– na Indonésia, em 1985, os residentes chineses totalizavam menos de 3% da população, mas eram donos de 70% da riqueza do País;
– nas Ilhas Maurícias, embora familias francesas representem somente 5% da população, eles detêm 90% da riqueza local.

O que pretendo demonstrar aqui, efetivamente, é que tal princípio vai de encontro, na maioria das vezes, ao que a nossa intuição imagina ou espera: uma errônea relação de equilíbrio entre causa e efeito.

Como foi seu ano que passou? Coisas demais para fazer com pouco tempo para elas? Quem sabe neste novo ano não deveríamos aplicar o Princípio de Pareto em nossas vidas?

Caro amigo, tenha olhos de tigre! Foque-se no essencial, coloque aí suas fichas. Esqueça o simples e o trivial que o restante virá naturalmente. Em um excelente artigo do conferencista Aldo Novak li o seguinte:

Durante o mais recente carnaval, tive a chance de estar com um grupo de 34 pessoas, viajando pela Bolívia e Peru, visitando templos e construções Aymaras e Incas. No caminho para Machu Picchu, passamos pelo lago navegável mais alto do mundo, o Titicaca, e um dos viajantes veio conversar comigo sobre os problemas que tinha para controlar sua vida. E o que esse viajante disse é o que praticamente todas as pessoas que vivem em grandes cidades repetem: “tenho coisas demais para fazer na vida, mas quase nenhum tempo”. Conversei com ele por quase duas horas, mas uma das dicas eu entrego agora para você, na forma de um antigo axioma, chamado Principio de Pareto. Qualquer empreendedor conhece o princípio, embora poucos o apliquem. O Principio de Pareto afirma que “apenas 20% daquilo que você faz é responsável por 80% dos seus resultados“.

Nesse princípio do 80-20 é óbvio que ocorrem variações estatísticas, mas fazendo uma média ponderada, ela tenderá a esses dois valores, seja lá o que for. Por exemplo: 20% dos alunos de uma sala de aula, são responsáveis por 80% da bagunça e do caos, enfrentado pelos professores. Controle os 20% e você controlará a sala de aula. Vinte por cento dos clientes de uma empresa são responsáveis por 80% das compras repetidas. Invista nesses 20% e eles trarão ainda mais lucros para sua empresa. Vinte por cento dos criminosos são responsáveis por 80% dos crimes registrados. Se a polícia tomar de assalto estes 20%, a criminalidade cairá 80%.

Fantástico, não?! Em sua vida pessoal o mesmo acontece. Vinte por cento daquilo que você diz para as pessoas são responsáveis por 80% das reações que provoca nelas. Portanto, todo cuidado é pouco quando você conversa com alguém que seja importante para você: Se você disser apenas 2 palavras ásperas, em 10… terá um problema de relacionamento para cuidar. Vinte por cento daquilo que você escolhe para comer é responsável por 80% dos problemas de saúde que surgirão mais tarde em sua vida. Troque os 20% que podem gerar essas doenças e você obterá 80% de chance de não desenvolver tais problemas.

Até este próprio texto, o essencial dele está em 20% das linhas, o resto, ou seja, os outros 80% são palavras de ligação, introdução, fechamento e repetição didática. Então, caro leitor, concentre-se no essencial, naquilo que efetivamente importa a você. Neste ano de 2012 faça as escolhas certas, seja em relação a seu tempo, seu dinheiro, seus amigos, relacionamentos, trabalho, e deixe o trivial de lado, afinal, você sabe que não vai conseguir fazer tudo mesmo. E lembre-se do que dizia Pareto: “apenas 20% daquilo que você faz é responsável por 80% dos seus resultados”.

Compartilhe!