(51) 3249.2837 e (51) 99817.2943 [email protected]

Ao folhear esses dias a Zero Hora, tive uma alegre surpresa ao ler um edital de convocação de candidatos para o concurso público de Assistente Administrativo da Prefeitura de Porto Alegre. É que um de meus alunos concursandos, Pedro Luís Borba da Costa (comigo ali compenetrado na foto abaixo), estava sendo chamado para assumir o Cargo. Ele havia ficado na posição 339 e, por isso, perdeu as expectativas de ser chamado. Até havia esquecido de que fizera aquela prova há quase dois anos. Ao saber da novidade de que estava sendo chamado, chorou de alegria, pois estava praticamente desempregado, só fazendo pequenos “bicos”.

Posso dizer que tenho experiência em mais de 20 anos em estudo e preparação para exames para concursos públicos, desde que passei em meu primeiro vestibular da UFRGS, em 1988. Antes de tudo, saiba que a preparação para concursos públicos exige certa dedicação. Digo concursos, no plural, pois, pode ter certeza, se algum dia você resolver entrar nessa “aventura”, fará mais de um. Quando estudamos para concursos públicos, o fazemos até passar, e não simplesmente para passar. Na maioria dos concursos que fiz, rodei ou me classifiquei mal, mas bastou ir bem em apenas um, que minha história mudou, como a do Pedro, acredito, irá mudar. Até mesmo o astral e a autoestima são afetados por isso.

O estudo para esse tipo de provas requer além de dedicação, disciplina e experiência. Conhecimento de tempos para fazer a prova, controle da ansiedade e daquele “branco” que algumas vezes surge na hora H. Isso tudo você só obtém fazendo muitas provas “às ganhas”. Desde a leitura do edital, a inscrição, a análise da relação candidato/vaga, a expectativa do que vai cair na prova, a conferência dos gabaritos, e finalmente a classificação final. Tudo isso invariavelmente é uma bagagem necessária para alcançar o sucesso em concursos.

Com o treino, verá que algumas matérias se repetem. Um segredo: até mesmo questões se repetem, às vezes com outras palavras; em outras, exatinho como você fez outro dia. Saiba que não há nada de novo debaixo do céu, apenas aquilo que você desconhecia existir.

Em muitos concursos, especialmente aqueles que exigem o ensino médio e fundamental, há matérias que são “figurinhas carimbadas”: Português e Matemática. Então, caro leitor, não espere a publicação do edital para estudá-las. Vá à luta antes: comece preparando desde já ao menos essas matérias corriqueiras. Fazendo isso, estará um passo adiante de seus concorrentes. Então, após a publicação do edital do concurso que você planejou metodicamente estudar, somente irá ”aparar” as arestas necessárias: legislação e matérias específicas.

Seja determinado e planejado. Pense no que você gostaria de trabalhar, e se é isso o que realmente quer. Pois o trabalho no serviço público é muitas vezes repetitivo e monótono, como todo trabalho burocrático, porém compensa pela segurança e estabilidade, além de pagar salários um pouco acima do mercado. Pesquise a atividade do cargo que pensa em ocupar: imagine-se trabalhando ali. Muito livros de autoajuda afirmam que esse exercício de visualizar sua conquista antes de que ela ocorra torna-a palpável e concreta em seu cérebro, que acaba acreditando e ordenando que você faça acontecer. Tente fazer isso e depois me responda se dá certo ou não…

Pense no salário que gostaria de receber, no turno que pretende trabalhar, a cidade e bairro onde se localizaria sua atividade. Saiba que, assim como o salário, existem outros fatores igualmente decisivos na escolha de determinado cargo: benefícios, planos de saúde e previdência, ambiente de trabalho, além da localidade também devem pesar nessa “balança”.

Entendo que a preparação para concursos públicos é um verdadeiro “empreendimento” que demanda acima de tudo tempo, paciência, determinação e renúncias. Muitas vezes você vai abrir mão de férias para estudar, outras vezes vai declinar daquele convite semanal para uma festa ou um cinema com a namorada ou namorado. Outras, irá perder a namorada ou namorado. Tenha certeza: você irá abrir mão de algo bom. E pode saber que você vai rodar ou ir mal no início, e seu parentes, amigos, namorados ou namoradas irão lhe cobrar, mas repito: basta apenas uma aprovação para dar a eles sua resposta.

E certamente, depois, verão você com um emprego estável, com um salário razoável, e então dirão que você é um cara de sorte, esquecendo da sua luta incessante e das inúmeras reprovações até chegar onde está: afinal apenas ficou o resultado. E isso é o que importa na realidade: passar, se classificar bem, e ser nomeado.

Compartilhe!